• RSS feed
  • Twitter
  • Facebook
  • Google+
  • YouTube
  • LinkedIn
 

Climatização

Gestão de caldeiras em cascata – a solução Vaillant

O que é a gestão de caldeiras em cascata?

A regulação ebus-Vaillant para sistemas em cascata tem a finalidade de gerir o funcionamento dos geradores de calor (caldeiras) tendo como objetivos:

– Otimização do rendimento sazonal da instalação;
– Combinar os serviços de aquecimento e água quente sanitária da forma mais eficiente (simultânea ou alternada) com um custo o mais baixo possível para o utilizador;
– Alargar a vida útil de cada equipamento distribuindo as horas de funcionamento de forma similar por todas as caldeiras alternando ciclicamente o seu funcionamento;
– Gerir o funcionamento individual dos circuitos de aquecimento central ou águas sanitárias com sondas de temperatura na impulsão de cada um, permitindo ao controlador uma gestão o mais fina possível.

 

Protocolo comunicação Vaillant-ebus:

O protocolo de comunicação eBUS-Vaillant simplifica a ligação técnica dos diferentes componentes de uma instalação.
Através de um cabo simples de 2 condutores ligado a todas as caldeiras é possível efetuar uma comunicação constante de variadíssimos dados afim de otimizar o rendimento global da instalação e reduzir consumos de gás.


Vantagens da gestão por cascata:

1) Fracionamento da potência total por duas ou mais caldeiras.
As necessidades térmicas da instalação podem ser colmatadas apenas por um aparelho enquanto os restantes estão em repouso, contribuindo para uma economia acentuada no consumo de gás. Quanto maior o número de caldeiras mais precisa e eficiente se torna a instalação

2) Menos dependência de avarias.
Como a instalação possui mais do que um gerador de calor, em caso de avaria as restantes caldeiras garantem a satisfação das necessidades térmicas até que seja solucionada a avaria na caldeira inoperante. Esta vantagem é particularmente útil em instalações públicas ou com bastantes utentes, em que o correto funcionamento das caldeiras é condição essencial ao normal funcionamento do estabelecimento em que se encontram instaladas.

3) Distribuição do desgaste por todos os aparelhos instalados.
A distribuição do desgaste por igual em todos os aparelhos é efetuada através da comparação da carga horária do funcionamento de cada uma das caldeiras.
Sempre que é excedido um determinado número de horas, o controlador inverte a sequência de arranque de forma a fazer funcionar os aparelhos com mais horas de repouso e dar repouso aos que acumulam mais horas de funcionamento.

4) Uniformização da instalação.
O controlador de cascata VRC-630 permite regular uma cascata absolutamente elementar de apenas 2 caldeiras estabelecendo apenas ordens de alternância, até uma instalação de múltiplos circuitos para aquecimento.


5) Lógica de funcionamento da gestão caldeiras em cascata (Diagrama apresentado)

– O controlador de cascata VRC-630 está ligado às caldeiras através de cablagem e-bus para comunicação/partilha de dados entre todos os periféricos da instalação (Temperatura das ;sondas, potência das caldeiras, estados de funcionamento, etc).

– Cada caldeira para além da primeira necessitam de um pequeno módulo de comunicação e-bus VR-32. Neste caso, ilustram-se 4 caldeiras, sendo necessários 3 módulos e-bus VR-32. 

– O ponto central da gestão é a sonda do separador hidráulico VF1. Toda a gestão para funcionamento das caldeiras toma o valor desta sonda como referência, que é igualmente conjugada com os valores de temperatura das várias sondas distribuídas pela instalação.

– Sempre que há pedidos de calor na instalação, a sonda VF1 é monitorizada. Uma das caldeiras entra em funcionamento e o controlador VRC-630 aguarda um intervalo de tempo (ajustável) para que a temperatura desta sonda atinja um valor mínimo programado.

– Decorrido o intervalo de tempo sem que se tenha atingido a temperatura mínima programada para a sonda VF1, o controlador sabe que uma caldeira apenas não desenvolve potência suficiente dentro do tempo aceitável para satisfazer as necessidades térmicas e dá ordem de arranque à segunda caldeira da cascata. Este processo vai-se desenrolando até que todas as caldeiras da instalação se encontrem em funcionamento, cumprindo entre cada ordem de arranque para cada uma delas o referido intervalo de tempo.

– Em caso de uma das caldeiras se encontrar em estado de ERRO devido a avaria, o controlador salta para a próxima e a instalação continua a funcionar até que a avaria seja solucionada pelo departamento técnico.

Realçamos ainda o bom ambiente de convívio criado em torno desta iniciativa, na qual todos se envolveram, transportando esta viagem, para um patamar que, não se limitou a uma esfera excursionista de carácter técnico/comercial, mas proporcionou óptimos momentos de descontracção e lazer, por todos considerado amplamente positivo e incentivando a CANALCENTRO SA para a criação de outras iniciativas deste tipo.

 
 

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *